05 Sep. 2019, 17h00

Fieg sugere mudanças nas novas regras da Codego

O novo presidente da Companhia busca apoio do empresariado para aprovar novas regras mais rígidas para vendas de áreas dos polos industriais

 

Com participação do vice-presidente da Fieg Flávio Rassi e do presidente do Conselho Temático de Relações do Trabalho da federação, Marley Rocha, a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego) promoveu encontro, quarta (04/09), na sede da Acieg, destinado a discutir as recentes mudanças na empresa e as propostas de alterações no regulamento de áreas, alienações e empreendimentos em distritos industriais.

Novo presidente da Codego, cuja direção assumiu em agosto, Pedro Sales disse que a missão agora é combater supostas irregularidades atribuídas à antiga gestão, promover clareza nas relações entre governo e empresariado e combater a especulação imobiliária.

A apresentação das novas regras para compra e venda de terrenos gerou dúvidas e inquietações. O presidente da Codego propõe que seja pago 10% do valor do terreno ao governo, para que o empresário receba a escritura do lote, desde que tenha mais de 15 anos de uso.

O presidente do Conselho Temático de Relações do Trabalho da Federação, Marley Rocha, questionou a nova regra e sugeriu que a mudança seja para quem adquirir o benefício do governo agora (para instalação no polo industrial), e que os contratos antigos permaneçam sem alterações.

Pedro Sales argumentou que as novas regras são para desestimular a venda das áreas, e de forma alguma prejudicar o empreendedor.

Para o vice-presidente da Fieg Flávio Rassi, quem promove especulação imobiliária precisa ser punido, mas o empreendedor deve ser estimulado, precisa ter condições e benefícios para expandir. “O empresário não pode ficar refém do governo e precisa ter o direito de ter a escritura da área para poder ter acesso a empréstimos e outros benefícios”, disse. As novas regras ainda serão submetidas a consulta pública. Flávio Rassi defendeu melhores condições para os empresários e ressaltou que são necessárias regras diferenciadas para o empreendedor e para quem faz especulação imobiliária.

Novas regras para venda de áreas:

1 a 6 anos – Proibida a venda da área

6 a 10 anos – Terá de devolver à Codego o valor de mercado de cada metro quadrado da área mais 5% das edificações

10 a 15 anos – O alienante terá de devolver o valor do módulo, ou seja, o valor de mercado de cada metro quadrado da área.

Mais de 15 anos – A empresa poderá transferir a área para seu nome, desde que recolhendo para a Codego 10% do valor de mercado do módulo.

Escreva um comentário: