03 Oct. 2019, 16h47

CPI aprova requerimento para ouvir Sandro Mabel

Espaço para manifestação do líder da Fieg atende solicitação do deputado estadual Coronel Adailton. Parlamentar entende que convocação é essencial ao andamento dos trabalhos da Comissão

Após sucessivas cobranças do meio empresarial e oito requerimentos enviados pela Federação das Indústrias do Estado de Goiás, o presidente da Fieg, Sandro Mabel, vai falar à CPI dos Incentivos Fiscais. O espaço atende solicitação apresentada pelo deputado estadual Coronel Adailton, que entende ser essencial o testemunho de quem representa as indústrias do Estado e que foi um dos responsáveis pelas atuais leis de incentivo em Goiás, para o bom andamento dos trabalhos da Comissão instalada na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego).

A data e horário do depoimento do líder da Fieg ainda não foram confirmados pela mesa diretiva dos trabalhos, mas Sandro Mabel já se colocou à inteira disposição. "Agora é só confirmar o dia e a hora para ir à CPI. Estou ansioso para contribuir formalmente com esse debate", afirmou o presidente da Fieg ao saber da aprovação do requerimento. Parlamentar por 25 anos, Sandro Mabel foi deputado estadual e federal, sendo um dos articuladores da implantação da política de incentivos fiscais em Goiás, o que proporcionou um salto de desenvolvimento e emprego nas últimas duas décadas.

Instalada em março de 2019, a CPI dos Incentivos Fiscais já escutou representantes da Secretaria da Economia, Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), ex-gestores da antiga Secretaria da Fazenda, além de empresários do setor sucroenergético e de laticínios. Para Sandro Mabel, a condução dos trabalhos da CPI expõe empresas e constrange empresários que apostaram em Goiás para realizar investimentos.

“Começaram a chamar indústria, empresário e tudo mais. Sabe o que esse pessoal está fazendo? Indo embora para Minas, para outros Estados”, lamentou o presidente da Fieg durante audiência pública realizada nesta semana na Alego para debater o assunto. Na oportunidade, Sandro Mabel fez duras críticas ao clima de insegurança jurídica que se instalou no Estado e defendeu veementemente a política de incentivos fiscais. "Indústria nenhuma vem para Goiás sem incentivo. É isso que dá competitividade ao que produzimos aqui", sustentou.

Escreva um comentário: